Documento elaborado pela cadeia produtiva do turismo visa colaborar com a construção e consolidação de uma política pública que possa promover o desenvolvimento do turismo no Brasil

Com a intenção de transformar o potencial turístico brasileiro em realidade, vinte e cinco entidades e associações da cadeia produtiva do turismo que compõem o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da CNC produziram um documento para entregar aos candidatos à Presidência, com propostas de construção e consolidação de uma política pública para promoção e desenvolvimento do turismo no Brasil.

Intitulado Turismo: +desenvolvimento +emprego +sustentabilidade, o material aponta caminhos para impulsionar a indústria do turismo como vetor importante da retomada do crescimento econômico e da geração de empregos por meio de cinco pilares de ação: infraestrutura, promoção, gestão e monitoramento, segurança jurídica e competitividade.

“O turismo é um segmento abrangente que reúne cerca de 60 atividades econômicas. Apesar de ser fundamentalmente realizado pela iniciativa privada, é uma indústria fortemente impactada pelas políticas públicas, uma vez que depende de infraestrutura, segurança, serviços de saúde e condições macro e microeconômicas favoráveis para o seu bom desempenho, como câmbio e tributação, por exemplo”, diz o presidente do Cetur, Alexandre Sampaio.

Para que as propostas sugeridas pela cadeia produtiva sejam implementadas, serão necessárias algumas premissas, entre elas apoiar e adotar políticas de taxação inteligentes, que incluem simplificação tributária e desburocratização, para melhorar o ambiente de negócios. 
 
O documento também destaca que os empresários querem continuidade nas políticas para o turismo, que devem ser encaradas como políticas de Estado e ter como premissas fundamentais a transparência e o monitoramento permanente. “As políticas públicas devem ser baseadas em Planos de Turismo anteriores, garantindo continuidade nas ações, que devem, necessariamente, ser coordenadas na esfera federal com governos estaduais e municipais”, complementa Sampaio.
 
O documento na íntegra está disponível em: http://bit.ly/TurismoPropostas
 
Entidades do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) que participaram da elaboração do documento:
 
FNHRBS – Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares
ABAV – Associação Brasileira de Agências de Viagem
ABEAR – Associação Brasileira das Empresas Aéreas
ABEOC – Associação Brasileira de Empresas de Eventos
ABETA – Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura
ABIH NACIONAL – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis
ABLA – Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis
ABOTTC – Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais
ABR – Associação Brasileira de Resorts – Resorts Brasil
ABRACCEF – Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras
ABRACORP – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas
ABRASEL NACIONAL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes
ABRASTUR – Associação Brasileira de Turismo Social
ABRATURR – Associação Brasileira de Turismo Rural
ABREMAR – Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos
ALAGEV – Associação Latino-Americana de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas
ANTTUR – Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento
BITO – Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional
BRASIL C&VB – Brasil Convention & Visitors Bureau
BRAZTOA – Associação Brasileira das Operadoras de Turismo
FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil
SEBRAE NACIONAL – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas
SINDEPAT – Sistema Integrado de Parques Temáticos e Atrações Turísticas do Brasil
UBRAFE – União Brasileira dos Promotores de Feiras
UNEDESTINOS – União Nacional dos CVBs e Entidades de Destino
s