A queda nos preços das passagens aéreas, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é um bom termômetro do impacto da desregulamentação da franquia de bagagem para os passageiros, na avaliação da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR).

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, mostra:

No acumulado de 12 meses, a tarifa aérea registra redução de 4,92% para um IPCA de 2,46%.
O preço das passagens aéreas recuou 15,16% em agosto diante de julho, enquanto que o IPCA teve variação positiva de 0,19%.
No ano, os bilhetes aéreos acumulam queda de 28,28% para uma inflação de 1,62%, no mesmo período.
A ABEAR acredita que o recuo nos preços das passagens também poderá ser captado pelo levantamento oficial de preços do setor, que ainda será divulgado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

O levantamento da ANAC, conhecido como “Tarifas Aéreas Domésticas”, leva em conta o preço efetivamente pago pelas passagens aéreas. Já o dado do IBGE é calculado por amostragens e por meio de simulações de compras de bilhetes aéreos.

Fonte: Abear