Ministro com o embaixador do Qatar, Crédito: Roberto Castro

O Ministério do Turismo vai defender a facilitação de vistos para o ingresso de visitantes do Qatar no Brasil. O anúncio foi feito nesta terça-feira (19) durante reunião em Brasília entre o ministro Vinicius Lummertz e o embaixador do país, Mohammed Al-Hayki, que discutiram a facilitação do fluxo turístico nas duas nações. Atualmente, brasileiros podem visitar o Qatar sem a necessidade do documento por até 30 dias e a ideia é adotar a reciprocidade na medida.

“Essa iniciativa se somaria aos nossos esforços pela adoção do visto eletrônico para viajantes da China e da Índia, permitindo que mais visitantes da Ásia e do Oriente Médio tenham o Brasil como destino por meio de uma grande conexão aérea”, ressaltou Lummertz. Ele lembrou ao diplomata que o MTur apoia a abertura do capital de empresas áreas nacionais ao capital estrangeiro, medida que pode baratear passagens e incrementar a atuação de companhias internacionais no Brasil, a exemplo da Qatar Airways.

O projeto que trata do capital de companhias aéreas aguarda votação na Câmara dos Deputados. O ministro sugeriu ao embaixador que Brasil e Qatar promovam uma aproximação entre empresários da área turística, a fim de despertar o interesse por projetos nacionais. Mohammed Al-Hayki destacou que o Qatar é responsável hoje por investimentos de aproximadamente US$ 6 bilhões no país, especialmente na área de óleo e gás, e afirmou que a área de hotelaria pode atrair a atenção do setor privado.

O embaixador do Qatar, que será sede da próxima Copa do Mundo Fifa em 2022, também elogiou a organização do mundial de 2014 no Brasil e manifestou o interesse daquele país em absorver a experiência brasileira. Também participaram da reunião o secretário nacional de Estruturação do Turismo, José Antônio Parente; o chefe da Assessoria Especial de Relações Internacionais do MTur, Rafael Luisi; Ana Paula Cavallaro, secretária do embaixador do Qatar; Geraldo Rocha, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), e o presidente da Clia Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), Marco Ferraz, entre outros.