Meio de Hospedagem em Bonito (MS). Crédito: Embratur

Pesquisa inédita realizada pelo Ministério do Turismo confirma a tendência de recuperação do setor de hospedagem em 2018. Segundo a sondagem conjuntural, realizada em abril com empreendimentos hoteleiros localizados em todas as Unidades da Federação, 64,2% dos entrevistados manifestaram possibilidade de realizar investimentos nos próximos seis meses.

Esta disposição de investir nos negócios está atrelada à expectativa positiva deste empresariado em relação ao desempenho do setor de viagens e turismo neste ano. Cerca de um terço dos entrevistados (30,9%) disseram que apostam no aumento da rentabilidade do setor, 30,7% acham que vai crescer a demanda pelos destinos onde seus hotéis estão localizados e 32% acham que os turistas vão gastar mais nas cidades que visitam.

“Quando o empresário identifica que o momento é propício para planejar investimentos é um indicativo de confiança na recuperação do mercado. É o que a nossa pesquisa com os hoteleiros, que é bem abrangente, está mostrando e isso é uma boa notícia para toda a cadeia produtiva do turismo”, avalia o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

Depois do primeiro trimestre com aumento de faturamento para 26,5% dos empreendimentos, a expectativa de melhora de performance nos próximos meses atinge 40,8% dos entrevistados. No que se refere aos empregos nos meios de hospedagem, 57% apontam para estabilidade no quadro de funcionários, 17% para ampliação e o restante prevê queda.

O Fórum de Operadores Hoteleiros (FOHB), que representa 26 redes nacionais e internacionais, registra crescimento em alguns indicadores do setor. “O primeiro quadrimestre do ano mostra evolução de 8% na taxa de ocupação em comparação ao mesmo período de 2017, relativamente a diária média ainda demonstra resistência no crescimento, apresentando 0,8% de aumento”, avalia o presidente do FOHB, Orlando de Souza, para quem 2018 aponta para um momento de reflexão devido aos recentes acontecimentos na economia do país.

PESQUISA - A Pesquisa de Sondagem – Empresários do Setor Hoteleiro no Brasil ouviu 664 empreendimentos de todos os portes, dos quais 19% com mais de 100 quartos, com objetivo de apurar às perspectivas dos empresários quanto ao desempenho de seus estabelecimentos e dos destinos onde estão inseridos. O levantamento considerou variáveis como número de empregos, rentabilidade do setor de turismo, faturamento, demanda de serviços ofertados, demanda pelo destino, e gastos do turista no destino.

A pesquisa foi realizada pelas equipes técnicas do Ministério do Turismo, sob coordenação da Diretoria de Estudos Econômicos e Pesquisas, com apoio das secretarias e órgãos estaduais de Turismo e entidades representativas do setor de hospedagem. Para ter acesso ao material, clique aqui.